UX Research: o que é e qual sua importância no processo de design?
ux research

UX Research: o que é e qual sua importância no processo de design?

Antes de tomar qualquer decisão final sobre a usabilidade, o layout ou as funcionalidades de um produto, é importante investigar o cenário a fundo e validar essas informações com quem, de fato, vai usar aquela interface, ou seja, o seu usuário. Para isso, a pesquisa é fundamental. E é justamente aqui que entra a importância do UX Research.

Mesmo quando estamos imersos num projeto e conhecemos as dificuldades principais, validar, reconhecer e entender as necessidades do usuários continua sendo algo essencial para garantir que entregaremos um produto com valor, eficiência e qualidade.

Nesse cenário, o UX Researcher é o responsável por auxiliar na identificação de problemas, além de, é claro, testar, refutar ou comprovar teorias e hipóteses. E hoje, nós vamos te explicar o porquê dessa pesquisa ser tão importante para o processo de design.

O que é UX Research?

O UX Research é o campo que estuda o comportamento dos usuários, suas dores e necessidades, relacionando alguns insights com o serviço ou produto que está sendo desenvolvido, a fim de criar a melhor experiência possível dentro do contexto de negócio.

Para isso, as dinâmicas incluem muitas formas de pesquisa e validações, com  ferramentas específicas e metodologias que podem ajudar os profissionais a terem conclusões mais assertivas e valiosas para o design como um todo. Claro, com um olhar estratégico sobre a demanda de negócio, o contexto e a interpretação do problema a ser resolvido. 

E por que fazer pesquisas?

O foco do UX é pensar a experiência do usuário.  E, para melhorar essa experiência, entender o seu público-alvo é algo imprescindível. Colocar o Research em prática é, portanto, usar técnicas para investigar a fundo os problemas, gerando soluções valiosas.

Você também pode reconhecer sua importância por outro lado: ao realizar testes e pesquisas, o time de produtos poupa tempo, energia e dinheiro, diminuindo o retrabalho e criando produtos, serviços e experiências que sejam realmente agregadoras. Afinal, solucionar os eventuais problemas antes de finalizar o processo de criação, é muito mais fácil (e barato) do que corrigir os erros depois que tudo estiver finalizado.

Por fim, o UX Research te dá ainda uma vantagem competitiva no mercado, uma vez que você estará buscando entender e validar os feedbacks do seu próprio usuário, o que, no futuro, pode te destacar perante aos demais concorrentes. Com isso tudo, mais do que um design bonito, você vai garantir uma gestão de produtos inteligente e acessível.

Ok, mas como eu faço essas pesquisas?

O UX Research deve sempre partir de algumas premissas, como:

  • Quais problemas queremos resolver?
  • Que dúvidas precisam ser respondidas?
  • O que eu pretendo fazer com essa interface?
  • E quanto as hipóteses, quais delas precisam ser testadas?

Só através das pesquisas com os usuários, será possível encontrar respostas claras para estes e outros questionamentos. Mas atenção: os usuários envolvidos nessa pesquisa devem se relacionar ou ser estratégicos  ao grupo que, posteriormente, usará este produto. Por exemplo, você deve testar pessoas que estejam ligadas à jornada que você está pensando e que possam assim te ajudar na etapa do projeto ou hipótese a ser validada.

Além disso, também é importante determinar o método que você vai utilizar, isto é: entrevistas, pesquisas quantitativas e qualitativas, teste de usabilidade, entre outros. É claro que essa escolha vai depender do seu objetivo final.

Se você quer, por exemplo, entender como o usuário realiza uma tarefa a partir do wireframe, um  método indicado é o teste de usabilidade, que pode ser remoto ou não.

Mas, independentemente do seu objetivo, essa é com certeza uma das etapas mais importantes do processo de criação. Além disso, as pesquisas com foco nos usuários fortalecem a prática da empatia e o entendimento de como as pessoas se comportam, inspirando a criação de soluções muito mais funcionais e alinhadas a um propósito.

Quer saber mais sobre esse assunto? Então não deixe de baixar nosso Guia de Boas práticas de UX Research, um passo a passo criado pelo nosso time da Orbia.

CompartilharFacebookTwitter
Entrar na conversa