Metodologia de pesquisa com usuários: você está aplicando corretamente?
metodologia de pesquisa

Metodologia de pesquisa com usuários: você está aplicando corretamente?

A metodologia de pesquisa com usuário é algo essencial para qualquer designer de experiência. Já que os profissionais de UX precisam encontrar formas de ouvir, acolher e compreender seu público, entendendo quais são as suas principais necessidades.

E descobrindo quem são, de fato, as pessoas por trás dos produtos e serviços.

Só assim, conseguiremos confirmar se aquela solução que desenhamos, realmente, entregará valor a eles. De forma geral, as pesquisas de validação são muito amplas. Atualmente, por exemplo, existem diversas formas de interagir e testar seus usuários. Ou seja, é preciso saber, portanto, o momento certo de aplicar cada uma.

E você, tem usado essas metodologias corretamente? Bom, no artigo de hoje, nós vamos te mostrar como conduzir esse processo da melhor forma possível.

Por onde começar?

O primeiro passo é entender se este já é, de fato, o momento certo para você realizar uma pesquisa. Para isso, você pode fazer alguns questionamentos, como:

  • Você já tem as hipóteses que precisa testar muito bem definidas?
  • Qual é o risco de não fazer essa pesquisa agora?
  • Qual é o impacto que isso pode causar no projeto?
  • O usuário precisará de apoio visual ou isso pode ser resolvido com uma conversa?
  • Caso precise de suporte visual, você já tem como prover isso?
  • O perfil do usuário é fácil de ser recrutado ou você precisará de uma consultoria?
  • Você já tem um escopo da pesquisa pré-montado?
  • Os custos da pesquisa são proporcionais aos custos do projeto?
  • E, caso você opte por não fazer a pesquisa agora e, posteriormente, se o produto apresentar alguns erros, será que será mais caro para corrigi-los? 

Depois de responder as perguntas acima, faça um cronograma de quanto tempo você gastaria para planejar e executar essa pesquisa. Também tente mensurar quantos profissionais e equipamentos serão envolvidos nisso, calculando o investimento necessário.

E, quando esses gastos estiverem estruturados, converse com seu time sobre essa possibilidade, pensando nos prós e nos contras desse investimento. 

É claro que, a pesquisa é algo extremamente importante, porém, saber se planejar e aproveitar as oportunidades certas também é essencial para um bom resultado.

Agora, se você e seu time estão convencidos de que este é o momento certo, então o próximo passo é escolher o método que faz mais sentido para o seu projeto. E nessa etapa, o mais importante antes de decidir qual metodologia de pesquisa vocês irão utilizar, é se perguntar: o que eu quero validar ou entender com isso?

Escolhendo a metodologia de pesquisa de acordo seu objetivo

É fato que todo projeto precisa ser criado com base em uma metodologia. Isso vale tanto para a fase de descoberta quanto para a fase de validação de um produto.

Na fase de descoberta, por exemplo, você pode utilizar o método da observação que consiste em entender como o seu usuário age e se comporta. Para isso, você deve apostar em um misto de contemplação e interação. Ou seja, além de observar o comportamento do seu usuário, você também precisa intervir e/ou fazer algumas perguntas em  momentos pontuais, principalmente, quando quiser validar alguma ação.

Já na fase da validação, você pode se valer de um teste de percepção. Isto é: uma ferramenta focada em opiniões qualitativas, que tem o objetivo de entender as percepções dos usuários sobre os produtos ou serviços que estão sendo desenvolvidos. 

Para isso, você deve criar um roteiro pré-determinado com alguns temas específicos e questionar os participantes, seja de forma presencial ou remota. 

Alguns outros caminhos são:

  • Pesquisa qualitativa vs. pesquisa quantitativa 

A pesquisa quantitativa consiste em conversar com uma grande quantidade de pessoas, para coletar dados numéricos a respeito de um determinado assunto. Já a pesquisa qualitativa é focada em um número menor de usuários e apresenta mais profundidade, conseguindo coletar assim insights mais completos e otimizados. 

Mas qual escolher?

Bom, isso vai depender do seu objetivo. Você precisa de dados numéricos ou de impressões aprofundadas? Quer obter métricas mensuráveis ou opiniões embasadas?

  • Entrevista com profundidade

Assim com as pesquisas qualitativas, o objetivo da entrevista com profundidade também é entender o comportamento, as crenças e as percepções de um usuário.

  • Grupo focal

Nesta metodologia de pesquisa, os usuários são reunidos para conversar livremente e de forma descontraída sobre um determinado produto, interface ou serviço. 

  • Questionário online

O questionário online é uma prática bastante conhecida que tem o objetivo de levantar dados e informações de forma rápida, quantitativa e menos aprofundada. No geral, ele é usado para expandir uma exploração inicial sobre um determinado assunto ou para validar as informações obtidas em etapas mais qualitativas.

  • Teste de usabilidade

O teste de usabilidade tem por objetivo verificar a facilidade que o produto possui de ser compreendido e manipulado pelo usuário. Isso porque os usuários executam determinadas tarefas que ajudam os designers e desenvolvedores a testarem a usabilidade e a acessibilidade de um produto, encontrando problemas ou oportunidades de melhorias, além de validarem diferentes layouts, mensagens e funcionalidades.

O que fazer no final? Documentar!

Independentemente do seu objetivo ou da metodologia de pesquisa escolhida, a documentação é uma das partes mais importantes desse processo. Então, documente todas as informações coletadas no decorrer das pesquisas e organize tudo quando terminar.

Quer saber mais sobre esse assunto? Baixe nosso Guia de Boas práticas de UX Research, lá temos um passo a passo criado pelo nosso time para te ajudar a escolher a melhor metodologia para cada caso. 

E lembre-se: as pesquisas sempre devem ter foco nos usuários, fortalecendo a prática da empatia e o entendimento de como as pessoas se comportam. Só assim conseguiremos criar soluções funcionais e verdadeiramente alinhadas ao usuário.

CompartilharFacebookTwitter
Entrar na conversa